quarta-feira, 19 de agosto de 2015

A CASA DE VILA SECA

Gondar e a Família Pascoaes

A casa de Vila Seca pertenceu a Álvaro Pereira Teixeira de Vasconcelos, irmão do poeta Teixeira de Pascoaes. Herdou esta casa com a morte do pai, o Conselheiro João Pereira Teixeira de Vasconcelos, Senhor da Casa de Pascoaes.

Casa de Vila Seca

Maria José Teixeira de Vasconcelos, sobrinha do Dr. Álvaro, descreve-nos, desta forma, a Casa de Vila Seca:
“A casa era pequena, mas tinha muito encanto e debruçava-se sobre uma eira enorme.
O Tio Álvaro herdou a casa de Vila Seca, onde passou longas temporadas porque ali existiu um lagar de azeite que estava a seu cargo.
O Tio Álvaro fez grandes obras, construiu uma varanda sobre a eira, ao longo da ala, que dava entrada para o seu quarto. Fez um escritório, uma boa casa de banho, cozinha e vários novos quartos e arrumos. A casa, sem perder o seu encanto, ficou verdadeiramente confortável.
Ao fundo de um campo que meu Tio transformou em vinha, ergueu-se a Capela da Casa.
O Tio Álvaro tinha muitos amigos de Lisboa que vinham passar com ele longas temporadas. Os mais assíduos eram o brigadeiro Gaspar Sá Carneiro e a mulher Beatriz que traziam o sobrinho Francisco Sá Carneiro, de trágico destino, e que teria então uns 10 anos de idade.
À entrada da Casa de Vila Seca, havia uma lindíssima ramada rodeada por enormes e centenários sobreiros” (1).

E elogia, desta forma, o seu tio Álvaro:
“O irmão mais novo do poeta era um gentleman. O único janota da família. Jogava o bridge e o bluff e tinha muitos e bons amigos. Era formado em Direito pela Universidade de Coimbra, mas nunca exerceu a advocacia.
Era um bonito rapaz e extraordinariamente simpático.
Tinha o sentido do humor e era muito bondoso. (…)
Nunca vi o Tio Álvaro zangado. Era de tal maneira bondoso que me apetece chamar-lhe o Infante Santo desta ínclita geração.
Depois da morte do irmão Joaquim, foi viver para a sua casa de Vila Seca, onde morreu com 81 anos”. (2)

Casa de Vila Seca (fachada virada a nascente)
De referir, ainda, que se deve ao Sr. Dr. Álvaro a descoberta da Necrópole Romana de Tubirei, alguns trabalhos de pesquisa nesse local e a preservação de todo o espólio aí encontrado.

(1) - Amaral, Luís Coutinho, Contributos para o Estudo da História de Amarante/Gondar, Museu Municipal de Amarante, 2009.
(2) - Vasconcelos, Maria José Teixeira de, Na Sombra de Pascoaes, VEGA, 1993.


Capela de Nossa Senhora das Dores

A Capela da Casa, cujo orago é Nossa Senhora das Dores, já existia em 1826,aquando da aquisição da propriedade. Pelas suas caraterísticas parece datar do século XVIII. 
A designação da quinta como "Quinta do Encontro" refere-se ao encontro de Nossa Senhora 
com o seu filho Jesus, no seu caminho para o Calvário - uma das sete dores de Nossa Senhora. É provável que na Semana Santa se realizasse uma procissão relativa a esse episódio. Esta procissão do "Encontro" ainda se realiza em várias localidades do país.

Dr. Álvaro Pereira Teixeira de Vasconcelos

Biografia:

Álvaro Pereira Teixeira de Vasconcelos

Nasceu na Casa de Pascoaes, a 20 de Setembro de 1884. Após a conclusão dos estudos liceais, frequentou a Universidade de Coimbra onde se licenciou em Direito, mas nunca exerceu a advocacia.

Tinha muitos amigos, com quem se reunia na sua “Casa de Vila Seca”, na Confeitaria Mário, em Amarante, onde se juntava com o seu irmão Senhor João Pereira, e, em Lisboa, onde passava os Invernos.

Gostava muito de acompanhar o funcionamento do seu Lagar de azeite em Vila Seca, onde passava horas a conversar com os engenheiros (trabalhadores do engenho) e com os seus fregueses, a maioria pessoas de Gondar.

Faleceu na casa de Vila Seca, em 28 de Março de 1964, tendo sido sepultado no jazigo de família, no cemitério de Gatão.

Miguel Moreira






Sem comentários:

Enviar um comentário