sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

SÃO BRÁS DE VÁRZEA

As romarias são uma das principais manifestações da religiosidade popular. Doenças e dificuldades no acesso a cuidados de saúde levavam as pessoas a recorrer à ajuda divina e à intercecção dos santos. Daí, nas sociedades de antanho, vermos as populações, sobretudo as rurais, acorrerem em grande número a estes locais de culto: São Brás de Várzea, Senhora do Castelo, Senhora da Guia, Senhora de Corvachã, Santo Amaro, contam-se entre os muitos locais de romagem. Hoje vamos falar de São Brás.
Tendo realizado vários milagres em animais e em doentes, como, por exemplo, retirar um espinho da garganta de uma criança somente por olhar para o céu e rezar a Deus, São Brás, médico popular que viveu entre os séculos III e IV na Arménia, tornou-se no santo padroeiro dos animais, dos veterinários e das doenças da garganta, entre outras. Foi padre e, também, bispo de Sebaste, na Arménia. Capturado pelos Romanos, morreu como mártir, tendo sido decapitado no ano de 316.
A partir do século VIII, o seu culto expande-se um pouco por todo o mundo cristão, invocando-se as suas bênçãos para doentes e animais, por associação aos milagres que lhe foram atribuídos.
No calendário litúrgico, o seu dia celebra-se a 3 de Fevereiro.

Capela de São Brás de Várzea - Aboadela (Amarante)

Capela de S. Brás de Várzea - Aboadela (Amarante)

Localizada no cimo da pitoresca aldeia de Várzea, em Aboadela, a capela de S. Brás, no dia da festa do santo, atrai um elevado número de devotos que, em romaria, vão à pequena capela cumprir as suas promessas ou, simplesmente, pedir as bênçãos do santo. Não fosse ele advogado das doenças de garganta, tão frequentes nesta altura do ano. 
De Gondar, são muitos os romeiros que aí se dirigem.
Capela de proporções e construção modesta, vem referida, pelo padre Alexandre Pinto da Silva, nas “Memórias Paroquiais” de Ovelha do Marão, em 1758, como “pertencente aos religiosos de S. Bento do convento de Tibães” e acrescenta que “no dia da sua festa, junta-se algum povo em romaria”. Documento que atesta a antiguidade e importância do culto a S. Brás nesta abençoada região do Marão.

Aldeia de Várzea - Aboadela
Festa religiosa, tem também a sua vertente profana, sendo como que um prenúncio do Carnaval que se avizinha. Na festa não faltam o vinho verde da região, as cavacas, os rosquilhos e o afamado e sempre presente “biscoito da Teixeira”.
Miguel Moreira (texto e fotografia)

Sem comentários:

Enviar um comentário