quarta-feira, 16 de março de 2016

RIO OVELHA

O território de Gondar foi moldado pelos rios Ovelha e Carneiro. Um e outro percorrem a freguesia de lés-a-lés, e, numa espécie de enlace matrimonial, unem-se em Larim para juntos continuarem a sua marcha para o mar.


Rio Ovelha em Larim - Gondar


Rio Ovelha em Tojal - Gondar


Rio Ovelha em Sumidas - Gondar

O rio Ovelha nasce perto da linda aldeia de Covelo do Monte, nas encostas de Pena Suar (Serra do Marão). Depois, por entre uma paisagem deslumbrante, serpenteia a encosta e, após atravessar Aboadela, entra em Gondar que percorre de Nascente a Poente.
Com uma extensão de cerca de 30 Km, o Ovelha é um rio de águas limpas que corre ora por vales verdejantes e laboriosamente trabalhados, ora afunilando-se por entre margens estreitas e alcantiladas. Com um caudal muito irregular, tem, ao longo do seu curso, vários açudes para aproveitamento das suas águas para irrigar os férteis campos que o ladeiam, ou para lhe colher a força para fazer mover os moinhos, hoje em dia abandonados, mas plenos de beleza e testemunhos do árduo trabalho de antigos moleiros. Também de destacar as suas aprazíveis praias fluviais como a do lugar de Rua (Aboadela), a das Sumidas (Gondar) e a de Padornelo.
Em Abril de 2003, foi criada a “Associação dos Amigos do Rio Ovelha” que tem como principal objectivo a defesa e conservação do património natural, paisagístico, arqueológico e cultural da Bacia Hidrográfica do Rio Ovelha.
Texto e fotografias: Miguel Moreira

Sem comentários:

Enviar um comentário